o MEDO… por Evaristo Magalhães

medo

O ocidente sempre cultivou o medo. Existe uma indústria do pavor que teve início na mitologia grega e vem até os filmes de terror mais contemporâneos. Criaram um outro lado feito de coisas terríveis, sombrio, escuro, repleto de seres horrendos, com bocarras e dentões escancarados e prontos para devorar os mais “malvadinhos”.

Nossos pais utilizaram este recurso para nos conter e controlar nossa liberdade. Sabemos muito bem que boa parte dos perigos do mundo não possuem caras e bocas sádicas. Ficamos marcados pelo monstruoso e ainda acreditamos que existem seres e demônios por detrás de quase tudo. Carregamos um mundo imaginário pavoroso e vivemos rodeados de coisas mórbidas. Acreditamos na vingança do sobrenatural.

É este lado tenebroso da vida que está por detrás de nossas inseguranças, depressões e ansiedades. Nunca faça medo ao outro e não o envolva com invencionices despropositadas e paralisantes. Injetaram em nossas mentes seres terríveis e – para não sermos atacados – temos que pagar com nossa bondade e submissão. Carregamos a fantasia maniqueísta do bem e do mal. É assustador a submissão ao medo e é penoso o pavor da ira do deus dos petencostais.

E a devoção aos médicos e policiais? Sempre achamos que o poder possui um lado mal e vivemos sob o jugo de que podemos ser atacados a qualquer momento. A paranoia já nos faz perder muitas oportunidades. É só no enfrentamento que o véu das mentiras se descerra. Pode não haver nada na escuridão e a encruzilhada pode ser apenas uma paisagem solitária.

Mudar pode ser bom e pode ser instigante ver o outro lado. É bom arriscar. Degole seus monstros e questione seu destino. Detone seus carmas e não use o sobrenatural para justificar sua covardia. Retorne e verifique seus erros. Dê asas aos sonhos.

Por Evaristo Magalhães

Filósofo e Psicanalista

evaristo 150x150 Sobre AMORES POSSESSIVOS ...

 

 

 

 

 

http://evaristomagalhaespsicanalista.com/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *