Luiz Fernando Carvalho, o mestre!

velho chico

Não assisto novelas: acho o formato chaaaatooooo; não tenho, talvez, a devida paciência. Mas, devota que sou de Luis Fernando Carvalho, vim espiar agora o primeiro capítulo de Velho Chico pelas redes. Ah, que resgate dos nossos tempos, dos nossos corpos, dos nossos sonhos todos. Tudo está exatamente ali: A Volta do Capitão Tornado; Hoje É Dia de Maria; Hair; A Cor Púrpura; Almeida Júnior; Goya; da Vinci; João Cabral de Melo Neto e Morte e Vida Severina; Vidas Secas; Jorge Amado; Guimarães Rosa; Érico Veríssimo; Fim de Feira de H. J. Koellreutter; Verdi; os cegos das feiras do nordeste; o tropicalismo; nós índios e nós negros de todas as nações; Carlos Drummond de Andrade; e a paixão feita de vento e tempestade que só quem é Iansã e Ogun reconhece. Amo este Brasil brasileiro, essas camadas de complexidades que nestes tempos difíceis estamos todos, estúpida e teimosamente, varrendo, como se sementes do novo fossem lixo. Somos onça tchê! Amo Luiz Fernando Carvalho, o mestre!

Por Cleide Campelo

Cleide

 

 

 

 

 

http://tutumaramba.com.br/?page_id=546

https://www.facebook.com/grupotutumaramba?pnref=story

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *